Atraso na entrega de móveis planejados

A loja de móveis está demorando para montar ou seu marceneiro não entrega os móveis planejados e você está se perguntando o que fazer? São recorrentes os problemas com consumidores relacionados ao atraso na entrega de móveis planejados, serviços mal executados ou com defeitos e, até mesmo, empresas que pegam o adiantamento e somem do mapa, sem prestar qualquer serviço. Casos em que a justiça, provocada por um bom advogado especialista em Direito do Consumidor, pode recuperar o valor pago e compensar os transtornos com uma ação de indenização.

No caso do serviço de marcenaria e lojas de móveis planejados, por ser um serviço executado no final da obra, a espera sempre causa muita frustração para o contratante. Processar o marceneiro ou a empresa prestadora do serviço sempre é algo que passa na cabeça do contratante quando o atraso na entrega dos móveis planejados começa a atrapalhar os planos de mudança para casa nova, inauguração de um negócio ou venda/locação do imóvel, situações que, muitas vezes, causam prejuízos financeiros ao contratante do serviço.

Contrato de serviços podem ser provocadas na justiça por um advogado especialista em Direito do Consumidor, vindo a recuperar o valor pago e compensar os transtornos com uma ação de indenização.

Contratar um serviço que não é realizado conforme estabelecido no contrato é um problema comum nas relações de consumo, sendo importante reconhecer o dano sofrido e a obrigação da empresa ressarcir os prejuízos. Além da reparação do dano material, que pode ocorrer através de indenização ou abatimento/compensação proporcional, o consumidor também pode exigir a reparação do dano moral. Nesse sentido, o dever de indenizar o consumidor surge a partir do momento em que resta caracterizada a má execução do serviço ou, até mesmo, a falha na sua prestação. 

Assim como a compra de um produto com avaria abre espaço para que seja exigida a troca ou o reparo, um serviço prestado de forma inadequada também tem suas compensações previstas no Código de Defesa do Consumidor (CDC). De acordo com o texto da lei, “o prestador responde pelos vícios de qualidade que os tornem impróprios ao consumo ou lhes diminuam o valor”, podendo o consumidor nesses casos exigir a reexecução dos serviços, restituição imediata da quantia paga e abatimento proporcional do preço.

Outrora, caso o conserto ou reparo não seja feito ou o serviço fique inacabado, o consumidor deve buscar seus direitos, e o advogado especializado no assunto pedirá o total cumprimento do contrato e, se isso não ocorrer, a rescisão unilateral do contrato com pagamento de danos materiais e morais.

Este é um caso comum relacionado com Prestação de Serviços. Se você tem uma situação parecida, entre em contato conosco para saber como buscar seus direitos.